Paroquia São José – Rib Pires

Francisco: Caminhar segundo o Espírito para restabelecer a plena unidade entre nós

“A unidade para a qual caminhamos sobrevive na diferença. Não nos encerra na uniformidade, mas predispõe-nos para nos acolhermos nas diferenças. Isso acontece a quem vive segundo o Espírito: aprende a encontrar cada irmão e irmã na fé como parte do corpo a que pertence. Este é o espírito do caminho ecumênico”, disse o Papa em seu discurso na Catedral de Nossa Senhora da Arábia, no Bahrein.

Após o encontro com o Conselho Muçulmano de Anciãos, na Mesquita do Palácio Real Sakhir, o Papa Francisco se dirigiu para a Catedral de Nossa Senhora da Arábia, em Awali, onde se realizou o Encontro ecumênico e oração pela paz.

Em sua alocução, Francisco recordou a passagem dos Atos dos Apóstolos que fala que, em Jerusalém, no dia de Pentecostes, cada um ouvia os discípulos falarem das maravilhas de Deus em sua própria língua. Apesar de virem de muitas regiões, as pessoas se sentiram unidas num só Espírito. “Hoje, como então, a variedade de origens e línguas não é um problema, mas um recurso”, disse o Papa, reiterando que “isto é válido também para nós, porque, «num só Espírito, fomos todos batizados para formar um só corpo»”.

Quanto nos une, supera em muito quanto nos divide

Infelizmente, com as nossas dilacerações, ferimos o corpo santo do Senhor, mas o Espírito Santo, que une todos os membros, é maior do que as nossas divisões carnais. Por isso é justo afirmar que, quanto nos une, supera em muito quanto nos divide e que, quanto mais caminharmos segundo o Espírito, tanto mais seremos levados a desejar e, com a ajuda de Deus, a restabelecer a plena unidade entre nós.

Voltando ao texto de Pentecostes, o Papa citou dois elementos úteis para o caminho de comunhão entre os cristãos: “A unidade na diversidade e o testemunho de vida”. “O povo cristão é chamado a reunir-se, para que aconteçam as maravilhas de Deus. O fato de estar aqui no Bahrein como um pequeno rebanho de Cristo, disperso em vários lugares e confissões, ajuda a sentir a necessidade da unidade, da partilha da fé: assim como neste arquipélago não faltam ligações seguras entre as ilhas, assim aconteça também entre nós, para não estarmos isolados, mas em comunhão fraterna”, sublinhou.

O louvor e a adoração nos conduzem às fontes do Espírito

“Como fazer para aumentar a unidade, se a história, o hábito, as obrigações e as distâncias nos parecem atrair para outras partes? Qual é o «lugar de encontro», o «cenáculo espiritual» da nossa comunhão?”, perguntou Francisco, respondendo que “é o louvor a Deus, que o Espírito suscita em todos. A oração de louvor e adoração é gratuita e incondicional, atrai a alegria do Espírito, purifica o coração, reconstitui a harmonia, sanifica a unidade. O louvor e a adoração nos conduzem às fontes do Espírito, levando-nos de novo às origens, à unidade”.

O Papa disse que “a unidade para a qual caminhamos sobrevive na diferença. Não nos encerra na uniformidade, mas predispõe-nos para nos acolhermos nas diferenças. Isso acontece a quem vive segundo o Espírito: aprende a encontrar cada irmão e irmã na fé como parte do corpo a que pertence. Este é o espírito do caminho ecumênico”.

A seguir, Francisco disse: “Perguntemo-nos, como avançamos neste caminho. Eu, pastor, ministro, fiel, sou dócil à ação do Espírito? Vivo o ecumenismo como um peso, como um compromisso extra, como um dever institucional, ou então como o desejo veemente de Jesus de que nos tornemos «um só», como uma missão que brota do Evangelho? Concretamente, que faço eu por aqueles irmãos e irmãs que acreditam em Cristo e não são dos «meus»? Conheço-os, procuro-os, interesso-me por eles? Mantenho as distâncias comportando-me de maneira formal ou então procuro compreender a sua história e apreciar as suas particularidades, sem as considerar obstáculos intransponíveis?”

Voltar a descobrir e praticar a caridade

Depois da unidade na diversidade, o Papa passou ao segundo elemento: o testemunho de vida. No dia de Pentecostes, os discípulos se abrem, saem do Cenáculo e vão a todos os lugares do mundo. “Jerusalém, que parecia o seu ponto de chegada, torna-se o ponto de partida de uma aventura extraordinária”, sublinhou Francisco, reiterando que “o nosso anúncio não é tanto um discurso feito de palavras, mas um testemunho a ser mostrado com os fatos; a fé não é um privilégio a ser reivindicado, mas um dom a ser partilhado”.

O fato de estar aqui, no Bahrein, permitiu a muitos de vocês voltar a descobrir e praticar a genuína simplicidade da caridade: penso na assistência aos irmãos e irmãs que chegam, numa presença cristã que com humildade quotidiana testemunha, nos locais de trabalho, compreensão e paciência, alegria e mansidão, benevolência e espírito de diálogo. Numa palavra: paz.

Unidade e testemunho são coessenciais

Francisco disse que devemos “nos interrogar também sobre o nosso testemunho, porque, com o passar do tempo, podemos ir em frente apenas por inércia e esmorecer em mostrar Jesus através do espírito das Bem-aventuranças, a coerência e a bondade da vida, a conduta pacífica”. “Agora que nos encontramos a rezar juntos pela paz, perguntemo-nos: Somos realmente pessoas de paz? Estamos possuídos pelo desejo de manifestar, por todo o lado e sem esperar nada em troca, a mansidão de Jesus? Fazemos nossas as fadigas, as feridas e as desuniões que vemos ao nosso redor?”

O Papa concluiu, dizendo que a “unidade e testemunho são coessenciais: não se pode testemunhar verdadeiramente o Deus do amor, se não estivermos unidos entre nós como Ele deseja; e não se pode estar unido, permanecendo cada um por conta própria, sem se abrir ao testemunho, sem dilatar os confins dos nossos interesses e de nossas comunidades em nome do Espírito que abraça toda a língua e anseia por alcançar a cada um. Ele une e envia, reúne em comunhão e manda em missão. Na oração, confiemos-Lhe o nosso percurso comum e invoquemos sobre nós a sua efusão, um renovado Pentecostes que dê olhares novos e passos ligeiros ao nosso caminho de unidade e paz”.

FONTE: Mariangela Jaguraba – Vatican News/ www.diocesesa.org.br

Veja mais

Uma celebração emocionante marca o início de uma nova jornada espiritual na...
Uma celebração emocionante marca o início de uma nova jornada espiritual na comunidade. No dia seis de janeiro de dois mil e vinte quatro, a Paróquia São José em Ribeirão Pires viveu um momento de renovação e esperança com a posse do seu novo pároco,...
Foi lançada na reunião do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da Conferência Nacional...
Foi lançada na reunião do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), na terça-feira, 19 de setembro, a tradução brasileira da terceira edição típica do Missal Romano, segundo livro litúrgico mais importante na liturgia da Igreja depois do Evangeliário. O...
A Paróquia São José – Igreja Matriz de Ribeirão Pires informa a...
A Paróquia São José – Igreja Matriz de Ribeirão Pires informa a todos através de comunicado ( descrito nas imagens dessa postagem) do nosso Bispo Dom Pedro Carlos Cipollini, Bispo da Diocese de Santo André, que os superiores da Congregação dos Missionários Scalabrinianos, no fim...
Missa presidida pelo Bispo Dom Pedro é marcada por fé, devoção e...
Missa presidida pelo Bispo Dom Pedro é marcada por fé, devoção e tradição na região Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra Logo pela manhã, se teve o início com a missa solene, no qual o Bispo da Diocese de Santo André, Dom Pedro Carlos...
Hoje queremos lembrar e celebrar a vida de São João Batista Scalabrini,...
Hoje queremos lembrar e celebrar a vida de São João Batista Scalabrini, o fundador da Congregação dos Missionários de São Carlos, também conhecidos como Scalabrinianos. Nasceu em Fino Mornasco, Itália, em 8 de julho de 1839. Desde jovem, sentia em seu coração o desejo de...
Neste sábado e domingo passado, dias 20 e 21 de maio, a...
Neste sábado e domingo passado, dias 20 e 21 de maio, a Diocese de Santo André, através da Pastoral do Migrante promoveu a 6ª Festa das Nações, que nessa edição foi realizada na Paróquia São José no bairro Baeta Neves em São Bernardo do Campo....
A Diocese de Santo André, por meio do Vicariato Episcopal para a...
A Diocese de Santo André, por meio do Vicariato Episcopal para a Caridade Social, promoverá antes e durante a Solenidade de Corpus Christi, a campanha “Tapete Solidário”, que consistirá na arrecadação de agasalhos, cobertores e produtos de higiene pessoal para as famílias carentes das sete...
Nos dias 17 e 18 de março, aconteceu em nossa região Pastoral...
Nos dias 17 e 18 de março, aconteceu em nossa região Pastoral de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra as 24h para o Senhor. Mantendo a comunhão com as dez regiões pastorais da Diocese de Santo André, o evento teve como marco inicial a...
Sabemos que a origem da palavra vocação é bem complexa, mas seria...
Sabemos que a origem da palavra vocação é bem complexa, mas seria correto dizer de forma simples claro, que vocação é algo que te chama. Para nós Cristãos, essa voz que chama a cada um de nós é algo divino, uma comunicação do Divino conosco....
No último dia 21 de Dezembro, comemoramos mais um ano da existência...
No último dia 21 de Dezembro, comemoramos mais um ano da existência de nossa Paróquia São José, são 111 anos de história e crescimento da comunidade na graça de Deus, com a intercessão da Virgem Maria e do nosso padroeiro São José. Recordando a história,...